terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Ética e religião nos dias de hoje...

A propósito de,


Kierkegaard considerava que a Igreja do seu tempo se tinha transformado numa espécie de teatro ou de hotel que fazia os possíveis para atrair clientes. Ora, de facto esta mentalidade permanece ainda hoje - de tal modo que já quase ninguém tem escrúpulos de dizer que a Igreja (qualquer uma delas) deve adaptar-se aos tempos, ir ao encontro das pessoas... Este afã de atrair clientes tem feito autênticas operações plásticas à ideia de salvação e ao caminho da salvação... É verdade que o evangelho diz que a porta da salvação é estreita e o caminho que leva lá difícil - mas quase já ninguém se lembra de tais incómodas palavras! Hoje o discurso religioso - não só dos padres, mas também de qualquer crente bem intencionado que nos pretenda chamar para a luz - embeleza de tal forma o caminho da salvação, o discurso das virtudes da fé que, a páginas tantas, uma pessoa já não sabe bem qual dos caminhos oferece maior tentação: se o caminho recto, se o caminho incorrecto... A fé e a virtude são de tal modo adornadas que parece impossível que o Diabo consiga arranjar coisa mais bela e doce, e parece quase impossível que alguém chegue alguma vez a pecar se o caminho da verdade é tão tentador!

O mesmo acontece com a ética, segundo Kierkegaard... o discurso que hoje se apresenta como ético reveste-se de uma sagacidade cuja máxima é: ne quid nimis. "Nada em excesso" em ordem a poder ainda obter mais... A isto chama Johannes Climacus: a doutrina da prudência - segundo a qual o eudemonista se torna estúpido, não porque - como a antiga ética estupidamente supunha - prefira o caminho do prazer em vez do caminho da virtude, mas porque não escolhe o caminho que, prudentemente, lhe traria mais prazer...

(cf. Kierkegaard, Postscriptum Conclusivo Não-científico, VII, 403-404)

Sem comentários:

Enviar um comentário

discutindo filosofia...

Creative Commons License
Os textos publicados neste blog por luisffmendes estão sob uma licença Creative Commons

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.