sábado, 7 de janeiro de 2017

Conhece-te a ti mesmo

A propósito da noção de que um sujeito vai viajar pelo mundo para se descobrir a si mesmo

Em alguns textos, Kierkegaard ironiza com aqueles que se querem descobrir a si mesmos e acham ser necessário viajar pelos continentes do mundo para o fazer. Ironiza que um sujeito julgue ser necessário descobrir o mundo todo, e ainda descobrir um novo continente, para se descobrir a si mesmo.
Já os pensadores gregos insistiam, um após outro, que o afã de conhecer o mundo era inútil a quem não se conhecesse a si mesmo, de modo que o sujeito teria de se descobrir primeiro a si mesmo para poder, depois, conhecer o mundo.
Vemos, portanto, que pelo menos há mais de 2000 mil anos esta ilusão permanece: a de que um sujeito pode descobrir-se a si mesmo mediante o mundo. Mas um sujeito só pode descobrir-se a si mesmo mediante o mundo se primeiro se tornar idêntico ao mundo. O equívoco é que, nesse caso, o resultado não é que ele se descobre a si mesmo, mas sim que se torna mundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

discutindo filosofia...

Creative Commons License
Os textos publicados neste blog por luisffmendes estão sob uma licença Creative Commons

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.