sexta-feira, 28 de setembro de 2012

O homem é aborrecimento

A propósito de aborrecimento...



"As pessoas de experiência defendem que é muito importante começar do princípio. Concedo-lhes isso e começo com o princípio de que todos os homens são aborrecidos. [...] O aborrecimento é a raiz de todo o mal."
Kierkegaard, Ou isto/ Ou aquilo, Rotação de Culturas.


"[para a alma é] um sofrimento insuportável estar obrigado a viver consigo mesma, e a pensar em si. [...] Essa é a origem de todas as ocupações tumultuosas dos homens..."
Pascal, Pensées, XXVI



Parte superior do formulário





O aborrecimento é constitutivo do humano. A fuga ao aborrecimento dá forma à sua vida centrífuga e diletante. Mas essa fuga corresponde (isto é, é acompanhada de) à fuga de si mesmo para qualquer distracção que o possa afectar e ajudar a camuflar-se, criando-se à medida que perde contacto consigo. O filósofo não está livre disso. Analisa o conceito de "fuga de si" em Platão, em Pascal, em Kierkegaard, em Heidegger, e sem dar por isso domesticou o próprio conceito de fuga: na verdade foge de si estudando o conceito de fuga de si. Sócrates dizia apenas: deixemos Homero quieto, deixemos Simónides sossegado, examinemos a nós próprios.

Sem comentários:

Enviar um comentário

discutindo filosofia...

Creative Commons License
Os textos publicados neste blog por luisffmendes estão sob uma licença Creative Commons

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.