quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Trecho da Metafísica, de Aristóteles

A propósito da verdade e dos nossos olhos...

A investigação acerca da verdade por um lado é difícil, por outro fácil. Sinal disso é ninguém poder tocá-la suficientemente, nem falhar de todo. Mas cada um diz alguma coisa acerca da natureza, e se tomado individualmente pouco ou nada acrescenta, no conjunto de todos vem a ser muito. De facto acontece como se diz no provérbio: ‘quem poderia errar uma porta?’ Desta forma seria fácil, mas ter o todo e não poder ter a parte evidencia a sua dificuldade. Uma vez que existem dois graus de dificuldade, não é nas coisas mas em nós que reside a causa disso. Com efeito, tal como o olho do morcego está para a luz do meio-dia, também a compreensão da nossa alma está para as coisas por natureza mais evidentes de todas.

Aristóteles, Metafísica, 993a30 – b11
ἡ περὶ τῆς ἀληθείας θεωρία τῇ μὲν χαλεπὴ τῇ δὲ ῥᾳδία. σημεῖον δὲ τὸ μήτ᾽ ἀξίως μηδένα δύνασθαι θιγεῖν αὐτῆς μήτε πάντας ἀποτυγχάνειν, ἀλλ᾽ ἕκαστον λέγειν τι περὶ τῆς φύσεως, καὶ καθ᾽ ἕνα μὲν ἢ μηθὲν ἢ μικρὸν ἐπιβάλλειν αὐτῇ, ἐκ πάντων δὲ συναθροιζομένων γίγνεσθαί τι μέγεθος: ὥστ᾽ εἴπερ ἔοικεν ἔχειν καθάπερ τυγχάνομεν παροιμιαζόμενοι, [5] τίς ἂν θύρας ἁμάρτοι; ταύτῃ μὲν ἂν εἴη ῥᾳδία, τὸ δ᾽ ὅλον τι ἔχειν καὶ μέρος μὴ δύνασθαι δηλοῖ τὸ χαλεπὸν αὐτῆς. ἴσως δὲ καὶ τῆς χαλεπότητος οὔσης κατὰ δύο τρόπους, οὐκ ἐν τοῖς πράγμασιν ἀλλ᾽ ἐν ἡμῖν τὸ αἴτιον αὐτῆς: ὥσπερ γὰρ τὰ τῶν νυκτερίδων ὄμματα πρὸς τὸ [10] φέγγος ἔχει τὸ μεθ᾽ ἡμέραν, οὕτω καὶ τῆς ἡμετέρας ψυχῆς ὁ νοῦς πρὸς τὰ τῇ φύσει φανερώτατα πάντων.



Esta é uma das minhas passagens preferidas da Metafísica


O texto é de uma clareza estonteante. Profundamente honesto, directo. As coisas são assim, tal como Aristóteles as diz ser e fico espantado como, por mais séculos que passem, podemos continuar sempre a declarar ἰδοὺ ὁ ἄνθρωπος ecce homo.


É evidente que nem sempre acertamos, e é evidente que nem todos detemos toda a verdade. Mas também é evidente que não falhamos sempre, tal como é evidente que vamos acertando bastantes vezes...

... fica a suspeita de que a dificuldade acerca da verdade resida em nós próprios, na nossa própria constituição, nas nossas estruturas... uma suspeita importantíssima, feita com sinceridade, com honestidade, como quem aponta um caminho.

Tal como o olho do morcego fica cego perante a luz do meio dia, também a nossa compreensão fica cega perante as coisas mais manifestas... E esta, heim?! Que verdade tão poderosa registou Aristóteles... uma verdade que permanece. Perante isso mesmo que mais é manifesto, nós não vemos, ofuscados por essa luz abundante...

1 comentário:

  1. http://www.protrepticus.info/antidosisprotrepticus.pdf

    http://www.tlg.uci.edu/demo/browser?uid=0&lang=eng&work=86033&rawescs=N&betalink=Y&filepos=0&outline=N&GreekFont=Unicode&GreekInputFont=Beta&SpecialChars=suppress&maxhits=5&context=3

    http://pt.scribd.com/doc/37075552/Aristotle-s-Protrepticus-provisional-reconstruction

    ResponderEliminar

discutindo filosofia...

Creative Commons License
Os textos publicados neste blog por luisffmendes estão sob uma licença Creative Commons

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.