sábado, 19 de janeiro de 2013

O fruto e o pecado original...

A propósito da maçã...


A maçã e o pecado original. A maçã simplesmente não está na bíblia como pecado original. No entanto, em latim, "malus" tanto pode designar o "mal" como a "macieira". Talvez daí venha a confusão. Entretanto, o fruto em geral é considerado como símbolo de caducidade. Quer dizer, daquilo que passa

Aquilo que passa não se pode constituir em posse plena. Não é algo que permaneça, que possa estar disponível enquanto fizer falta, por exemplo. Os frutos são assim qualquer coisa de dura pouco, que rapidamente se destrói em razão da sua própria constituição. Neste sentido, é relevante que o conhecimento e a vida sejam, no Génesis, referidos como "frutos". 

A própria vida é um fruto que dura um certo tempo, mas que é constitutivamente caduca: "tu és pó e ao pó voltarás". Por outro lado, pode ser consumida, ou guardada. Enfim, há toda uma simbologia que importaria explorar, mas, de facto, não há nenhuma referência a uma maçã. O fruto proibido não é a maçã.

A única proibição explícita é a de "comer da árvore do conhecimento do bem e do mal".

Sem comentários:

Enviar um comentário

discutindo filosofia...

Creative Commons License
Os textos publicados neste blog por luisffmendes estão sob uma licença Creative Commons

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.