quinta-feira, 8 de março de 2012

COMO UMA SOMBRA, OS DIAS..., de AV Carvalho

COMO UMA SOMBRA, OS DIAS...

A vida é tão frágil... uma ténue espuma, uma pétala colorida, uma nuvem branca. A vida é frágil e por isso é bela.

A fragilidade é bela, como é frágil a beleza e difícil a resiliência e constante a dificuldade em manter a vida firme, hirta, robusta - viva!

Não vive um homem mais que uma saudade. Todo ele é névoa, céu, abraço! Um sonho, um suspiro, uma vigília nocturna, um morto ambulante... assim vai homem, ledo, inseguro, pretensioso, cego.

Ver e não ver; não ver e ver. Ver ou não ver: eis a questão oh mortos da vida airada! Que fostes vós, quem fostes vós, homens? Pudestes ser deuses e fostes só homens; pudestes ser homens e tornaste-vos feras: selvagens, sem arado, incultas, estéreis como os vossos filhos.

A. V. Carvalho

Sem comentários:

Enviar um comentário

discutindo filosofia...

Creative Commons License
Os textos publicados neste blog por luisffmendes estão sob uma licença Creative Commons

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.